BANNER 1


O aluno Davi Henrique Teófilo de Azevedo Lima, do 5º ano do Ensino Fundamental, foi um dos vencedores da Olimpíada de Língua Portuguesa na categoria Poema, com o texto “Nos dez de galope lá no meu lugar”. O estudante e seu professor, João Soares Lopes, são da Escola Estadual Natália Fonseca do município de Bom Jesus.

O professor Milton César Apolinário, da Escola Estadual Coronel Antonio do Lago, da cidade de Touros, foi premiado na categoria Relato de Prática Poema. Voltada exclusivamente aos docentes, reconhece as experiências com a realização das oficinas de texto, descrevendo aprendizagens, descobertas, desafios e reflexões.

A Olimpíada de Língua Portuguesa, promovida pelo Itaú Social e Ministério da Educação (MEC), reconheceu 20 produções de todas as regiões do país, quatro em cada categoria: poema (5º ano do Ensino Fundamental), memórias literárias (6º e 7º anos), crônica (8º e 9º anos), documentário (1º ano do Ensino Médio) e artigo de opinião (3º ano do Ensino Médio).

Com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), a Olimpíada de Língua Portuguesa tem como objetivo apoiar os professores da rede pública no aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita. A partir da metodologia do Programa Escrevendo o Futuro, os professores realizam as oficinas de produção de texto com seus alunos.

O concurso se iniciou em fevereiro, com a abertura das inscrições para professores e alunos. Recebeu 171.037 inscrições de todos os estados e teve adesão de 87,5% dos municípios brasileiros – total de 4.876 cidades. A principal novidade foi a inclusão do gênero documentário para alunos do 1º e 2º anos do Ensino Médio.

Em 2019, a Olimpíada passou também a homenagear autores brasileiros, sendo nesta edição a escritora mineira Conceição Evaristo. Houve novidades também entre as premiações, que passaram a incluir imersão pedagógica internacional para os professores e viagem cultural em território brasileiro para os estudantes. As escolas dos alunos vencedores receberão como prêmio acervo para reforço da biblioteca.

O concurso conta com a parceria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura.

Confira abaixo os números específicos do Rio Grande do Norte.

Números desta edição - Rio Grande do Norte:

167 municípios participantes;

1.353 escolas inscritas;

2.456 professores inscritos;

5.050 inscrições nas categorias;


Poema vencedor

Nos dez de galope lá no meu lugar

Davi Henrique Teófilo de Azevedo Lima, orientado pelo professor João Soares Lopes

Lá por detrás das árvores, vinha o sol
Iluminando a rua de minha casa,
O astro esplêndido quente feito brasa,
Levantava no céu feito um farol
E o belo cantar de um rouxinol
Que eu acordei pra só ele escutar
E por alegria, começou a cantar
Na caveira de um boi fez ele o seu ninho
Comida trazia pra o seu filhotinho
Nos dez de galope lá no meu lugar. 

Vendo o sol nascer botei uma veste
E tive a ideia de escrever com rima
E muito prazer, eu sou Davi Lima
Sou de Bom Jesus, aqui no meu Nordeste
Também sou poeta, Antônio é meu mestre
O poeta que sempre faz-me inspirar
Com muita alegria eu vou retratar
O amor que tenho pelo meu sertão
E vou escrevendo com muita emoção
Meu lugar que eu amo, e sempre vou amar. 

Perto de Natal, capital do Estado
Se chama Bom Jesus. Oh, nome bonito!
E por Frei Damião esse nome foi dito
De um povo ordeiro e bastante educado
Se fores prá lá ficarás encantado
Alegria nas rimas sempre irei botar
E na nossa feira comecei a andar
Falei com os feirantes com grande harmonia
E vou caminhando com muita alegria
Essa que é a feira lá do meu lugar. 

Saindo da feira eu fui lentamente
E para a igreja agora estava indo
Olhei para ela alegre, sorrindo
E os meus versos fluindo da alma, da mente
Com muito cansaço sentei no chão quente
Olhando a igreja comecei a orar
Pedindo pra Deus me abençoar
E sob o sol ardente segui minha jornada
Com Deus me guiando nessa caminhada
É a fé que guia neste meu lugar. 

A água corria por baixo da ponte
E uma brisa fria batia em meu rosto
De felicidade, fiquei inteiro posto
Que de alegria aquilo era fonte
Eu olhei atento para o horizonte
Vi que o sol estava pronto pra se deitar
E na água fria eu fui me banhar
Olhei pro arrebol com concentração
Minha Bom Jesus é a inspiração
De eu fazer galope lá no meu lugar.

Jornal De Fato


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem