BANNER 1


Neste ano, a CAIXA celebra um marco especial, em que sua política de inclusão é fortalecida, mais que dobrando o número pessoas com deficiência (PcD) em seu quadro de empregados, saltando de 1.591 para 3.413. Para apresentar as medidas inclusivas e discutir novas ações para melhorar as condições de trabalho para os empregados e o atendimento aos clientes, a instituição realiza, entre os dias 2 e 3 de dezembro, em Brasília, o evento Nação CAIXA – Banco da Inclusão. 

A cerimônia de abertura do evento aconteceu na segunda-feira (2) e contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que, de forma simbólica, abriram contas correntes na CAIXA e receberam cartões e crachás utilizados pelos empregados do banco. Também estavam presentes 34 empregados PcDs CAIXA, que debateram soluções para melhorar ainda mais o serviço prestado aos brasileiros.

O presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, destacou os esforços de toda equipe no cumprimento da função social de inclusão, que está no centro da atuação da instituição. “Com ampla negociação e autorização da equipe econômica, conseguimos fazer a contratação recorde de 1.822 PcD este ano. Não tenho dúvida do fundamental papel social do banco para essas pessoas”, ressaltou.

Além disso, Guimarães falou sobre o aumento da capilaridade nacional e os avanços do primeiro ano de gestão, entre eles a redução estrutural dos juros, como a queda de 14% para 4,99% ao mês no cheque especial a partir de 1º de dezembro.

“A CAIXA é o quinto maior banco do mundo em número de clientes e o terceiro maior em número de pontos de venda (agências, lotéricas e correspondentes). Somos o banco de todos os brasileiros. Estamos presentes em 5.415 municípios e, até março de 2020, chegaremos a mais 155 localidades. A inclusão de PcDs neste processo é essencial para chegarmos e atendermos com satisfação todos os brasileiros. Estamos aqui para fazer a diferença”, destaca.

Os resultados alcançados este ano pela CAIXA e sua autonomia foram destacados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. “A CAIXA é o banco de todos nós. Eventos como este confortam a alma e mostram que podemos ser úteis e termos a consciência de que somos todos iguais, sem exceção”, observou. 

Cultura de inclusão 

O aumento de 114% de PcDs no quadro de empregados da CAIXA é uma sinalização da nova gestão para o fortalecimento de uma cultura de inclusão no banco. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, lembrou que esta terça-feira (3) é o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e destacou a atuação da CAIXA para promover a inclusão e valorização de PcDs no mercado. 

“A CAIXA, como banco da inclusão, tem desempenhado papel importante na busca de soluções para proporcionar melhor qualidade de vida para seus empregados e clientes portadores de deficiência. Parabenizo toda equipe pelo trabalho que tem realizado”, disse. 

Michele fez questão de citar a equipe brasileira feminina de futsal de surdas, convidadas por ela para o evento, que têm alcançado resultados positivos, e elogiou as ações do banco. “Todas as contratações recentes da CAIXA e as vitórias destas grandes atletas fortalecem a nossa missão de tornar o Brasil um país mais justo, inclusivo e solidário”, frisou.

A abertura do evento contou com grande presença de empregados da CAIXA. O gerente de atendimento em Goiânia, Joaquim Camilo, tem 30 anos de atuação no banco. Segundo ele, desde o início do ano, é possível perceber o novo olhar do banco em relação às pessoas com deficiência. “Tenho 18 anos nesta função de gerente e acompanhei toda a luta em prol de PcDs na CAIXA. Posso falar que está sendo implementada, de fato, uma política de inclusão, na qual nós temos vez e voz. Aqui nos sentimos valorizados, é uma questão de dignidade para todos os brasileiros”, garante.

Além da preocupação com os empregados, a melhoria do atendimento a PcDs também faz parte da missão e dos valores do banco. A CAIXA possui atualmente mais de 4 mil empregados capacitados na Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) que atuam diretamente no atendimento aos clientes.

Para a capacitação dos empregados, a CAIXA realiza treinamento com duração de duas semanas e carga-horária total de 60 horas. Podem participar empregados surdos e surdos-cegos e os que atuam diretamente no atendimento ao público.

Nação CAIXA - Banco da Inclusão

Após a abertura do evento, o vice-presidente de Gestão de Pessoas da CAIXA, Roney Granemann, comandou bate-papo com empregados sobre as principais ações do banco para o público interno em 2019 e o planejamento para atender de forma ainda mais eficaz o público com deficiência. Segundo Granemann, o objetivo é ouvir as demandas dos empregados e buscar soluções para a melhor adaptação ao trabalho e para a melhoria do atendimento aos clientes.

Em 2019, por exemplo, a Área de Logística investiu mais de R$ 100 milhões em adaptações necessárias nas unidades da CAIXA. Além disso, para a adaptação dos novos empregados, modificações foram promovidas em 124 unidades do banco.

Ainda no primeiro dia do evento, foi realizado um debate entre a vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Maria Naise de Morais Pedrosa, e dois empregados da CAIXA, sendo um deles pessoa com deficiência.

Entre os assuntos tratados, a parceria entre a CAIXA e o CPB para a inclusão de 550 crianças e adolescentes com deficiência, de 10 a 17 anos, por meio de atividades esportivas, culturais e educativas. No projeto, alunos das redes públicas municipal e estadual recebem todo o material esportivo necessário para as atividades, lanches, transporte e contam com professores e estagiários qualificados.

O investimento total é de R$ 10 milhões, com prazo de quatro anos e com recursos do Fundo Socioambiental CAIXA. O projeto de inclusão social no Centro Paraolímpico CAIXA também atenderá adultos e idosos, além de empregados com deficiência.

Nos dois dias do Nação CAIXA – Banco da Inclusão, seis oficinas serão ministradas com temas como comunicação, atitudes e tecnologias que possam facilitar a rotina de clientes e empregados, promovendo mais inclusão.  Os resultados desse trabalho serão apresentados e a implementação das propostas serão avaliadas pela CAIXA.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem