BANNER 1



Os mossorenses foram surpreendidos por uma forte chuva que durou cerca de duas horas na tarde de quinta-feira (18). Após meses de calor, a chuva deu uma amenizada no tempo quente da cidade.

Contudo, como é de costume, devido a deficiência das galerias da cidade, as águas se acumularam nas principais ruas e avenidas da cidade, causando transtornos para pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas.

Av. João da Escóssia, umas das principais vias de acesso, ligando o shopping ao Centro da cidade, ficou completamente alagada. Nas proximidades, a Avenida Diocesana e a Rua Amaro Duarte também ficaram, praticamente, intransitáveis.

Na região do Centro de Mossoró, ruas como a Cunha da Mota, no bairro Paraíba, as imediações da Cobal e também a Coronel Gurgel, em frente a Riachuelo, acumularam água suficiente para quase cobrir os pneus das motocicletas estacionadas.

Outra rua que ficou completamente alagada foi a Rua Sebastião Benigno de Moura, onde fica o Hospital São Luiz, local onde foram credenciados 10 leitos de UTI pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira.

Alguns leitores atribuem as inundações ao lixo jogados nas ruas, principalmente no Centro da cidade, que entopem os bueiros, bem como a falta de planejamento para suportar as chuvas.

A verdade é que não é de hoje que as ruas da cidade acabam se tornando verdadeiras piscinas a céu aberto ao menor sinal de chuva.

Na quarta-feira (17) a Emparn afirmou que as primeiras previsões mostram que de janeiro a março de 2020, o Rio Grande do Norte deverá registrar ocorrência de chuvas dentro da média histórica.

Mossoró Hoje



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem