BANNER 1


A parte traseira de um veículo de passeio explodiu na noite de quarta-feira (25), enquanto era abastecido em um posto de gás natural, localizado na cidade de Assú.

O acidente aconteceu devido a uma instalação ilegal de um botijão de gás cozinha (GLP) acoplado ao cilindro de gás natural (GNV), ambos instalados na mala do veículo.

A câmera de segurança do posto mostra o motorista, possivelmente proprietário, abrindo a mala do veículo e posicionando o botijão de gás de cozinha. Pouco segundos depois a traseira do veículo explode.

Consultado pelo portal Mossoró Hoje, um engenheiro explicou que o botijão explodiu porque foi ilegalmente instalado ao cilindro. Segundo ele, o cilindro suporta até 300 bar de pressão, enquanto que um botijão de GLP não suporta nem 40 bar.

O compressor de abastecimento dos postos combustíveis trabalham geralmente com 220 bar de pressão. Quando o motorista esquece de desconectar o botijão do sistema, naturalmente explode. O mesmo já aconteceu em Mossoró-RN.

O que tem que ser feito é uma rigorosa fiscalização com punição severa para quem faz este tipo de “gambiarra” no sistema de GNV (acoplar botijão ao cilindro), geralmente objetivando ter mais autonomia em seu veículo.

Ao fazer isto, o proprietário coloca a vida dele em risco, assim como dos frentistas dos postos e de qualquer pessoa que passar perto quando ele está reabastecendo.

Mossoró Hoje


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem