BANNER 1


Com base no monitoramento de atividades relacionadas ao setor de turismo, a Secretaria de Estado do Turismo e Empresa Potiguar de Promoção Turística (EMPROTUR) apresentam o balanço do segmento referente ao ano de 2019, no Rio Grande do Norte. Os dados, tendo como base a disponibilidade de leitos do estado, média histórica de ocupação, movimentação do principal aeroporto e pesquisas de perfil de demanda já realizadas, foram calculados pelo setor de estatística da Empresa.

AVIAÇÃO

Após extensa negociação, o Rio Grande do Norte promoveu o estímulo ao incremento da malha aérea com a redução do QAv. Nesta perspectiva, no segundo semestre de 2019, entre os meses de agosto a novembro, houve um crescimento de 14% do número de pousos e decolagens no estado em relação ao ano passado (considerando as três cias aéreas, Azul, Gol E Latam).

Os meses de outubro e setembro foram os que apresentaram maior incremento em relação ao mesmo período de 2018. Por mês, esses dados estão distribuídos assim: agosto (11%), setembro (13,5%), outubro (18,4%), novembro (14,7%). Já por companhia aérea, podemos notar as seguintes expansões: a Latam  apresentou um crescimento de 21%, a Gol de 10% e a Azul de 13,2%. Esses dados foram obtidos na base de dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que disponibiliza desde 2018 os Indicadores do Mercado de Transporte Aéreo.

“A malha aérea do nosso estado estava vinha declinando nos últimos anos. No primeiro semestre de 2019 todo o turismo brasileiro foi afetado com a quebra da companhia aérea AVIANCA, que era detentora de 7% da demanda doméstica do país e transportou, apenas no Rio Grande do Norte 310 mil passageiros em 2018”, relembrou a secretária de turismo, Aninha Costa. “Mas o governo estava atento às necessidades da aviação no nosso estado, redesenhando a nova política de isenção do QAv, em uma ação conjunta da entre as secretarias de Turismo e de Tributação. Os efeitos da assinatura do decreto, realizada no mês de junho, pode ser observado nos dados da ANAC. O crescimento foi expressivo para toda a cadeia turística”, completou a titular da pasta.


Para 2020, a perspectiva é de receber voos oriundos de novos destinos na alta estação, como é o caso de Goiânia, e, a partir de fevereiro incrementar a entrada internacional com o voo diário entre Lisboa e Natal que será ampliado pela TAP.

TURISMO INTERNACIONAL

A entrada de turistas internacionais do estado representou um acréscimo de 12%, sendo 27.009, em 2019 contra 23.748, de 2018. O segundo semestre teve crescimento médio de 15% em relação ao ano passado em movimentação de passageiros no total de embarque e desembarque, e, 33% considerando apenas desembarques. Somente no mês de dezembro houve crescimento de 29% em relação ao ano anterior. Os resultados foram obtidos com base na análise dos dados da Polícia Federal. No movimento de aeronaves, tivemos um número 44% maior que o ano passado. Setembro, dezembro, outubro e novembro foram percentualmente os melhores meses.

Sobre os estrangeiros, vale salientar a permanência do público argentino como o maior emissivo internacional para o estado, seguido pelos públicos português, chileno e paraguaio. Esses dados têm como base a ocupação hoteleira da capital e o histórico da pesquisa de demanda turística na alta estação, realizada pelo Sistema Fecomércio. Para o mês de dezembro de 2019, a projeção foi que mais de 200 mil viajantes estiveram no estado.

OCUPAÇÃO HOTELEIRA

A ocupação hoteleira no mês de dezembro se manteve na média histórica, registrando, em Natal, aproximadamente 65%; em São Miguel do Gostoso 52%; em Tibau do Sul, Mossoró e Serra de São Bento números na casa dos 60%. Durante o Réveillon, a capital potiguar registrou 90% de ocupação, São Miguel do Gostoso 100%, Tibau do Sul 98%, Mossoró 70% e Serra de São Bento 100% de ocupação.

“Tivemos um feedback positivo dos municípios do interior do estado no que diz respeito à ocupação do fim de ano, principalmente no Réveillon, com lotação máxima em alguns destinos. Nossa meta agora é promover o RN para aumentar a demanda de 2020 com um trabalho focado na inteligência comercial, atuando em mercados estratégicos para cada período”, afirmou o diretor da EMPROTUR, Bruno Reis.

Sobre o levantamento das informações, a secretária de turismo do estado, Aninha Costa, ressalta o envolvimento do trade. “Realizamos o levantamento dos números em conjunto com os secretários de turismo dos municípios que possuem as maiores demandas turísticas do estado, além de avaliar dados do aeroporto e também dos hotéis e empresas privadas, pois o dado precisa trazer a perspectiva macro do Rio Grande do Norte”, afirmou.

DESAFIOS

A titular contou ainda que algumas dificuldades a nível nacional e regional foram enfrentadas em 2019, como o vazamento de óleo no litoral nordestino, que teve grande repercussão a nível nacional e internacional. Quase 1000 praias, manguezais e rios de 130 cidades brasileiras foram afetados por fragmentos ou manchas de petróleo cru. “Apesar da grande visibilidade sobre o problema o cenário que observamos é positivo para o turismo. Fomos impactos, mas em pequena escala”, revelou Aninha Costa. “Levando em conta todas as adversidades, consideramos que o Rio Grande do Norte teve um desempenho positivo no ano de 2019 e estamos trabalhando para potencializar os números em 2020”, concluiu.

Os esforços para fomentar a promoção do estado ganharam uma nova roupagem desde o segundo semestre de 2019, com a proposta de desenvolver o turismo do Rio Grande do Norte de forma segmentada e mais qualificada, utilizando multicanais. Em 2020, as ações devem caminhar no mesmo sentido, com estratégias focadas na inteligência comercial. “Pensamos em modelos de ações cada vez mais digitais e voltadas para atração de turistas para o RN. Para o ano de 2020 estão previstas campanhas digitais, uma nova apresentação por segmentos, metodologias renovadas e ações inovadoras para que o estado tenha mais evidência no cenário de viagens nacionais e internacionais”, afirmou Bruno Reis.

MAIS DADOS

O monitoramento das atividades relacionadas ao setor ainda constatou o incremento médio de 30% na demanda das locadoras de veículos no período de dezembro a primeira semana de janeiro, além de projetar alta contratação de serviço até o dia 20 de janeiro. O Sindetur – Sindicato das Empresas de Turismo do RN – divulgou que as operadoras de turismo locais registraram um aumento de 11% na demanda. Já o aumento de viagens de um dia, as chamadas day trip, para o município de Galinhos, no litoral norte, também é um indicador do saldo favorável do turismo no estado. De acordo com a secretaria municipal, a região registrou um crescimento de 60% no serviço desde a segunda quinzena de dezembro. Outro dado importante registrado é relativo ao passeio de barco em Pirangi, no Litoral Sul, em Parnamirim, a expectativa de crescimento do atrativo é de 30% a 40% em relação à alta estação de 2019.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem