BANNER 1


Na manhã de sexta-feira (7) a Polícia Civil do Rio Grande do Norte deflagrou a Operação “Pecúnia Doc”.

A ação resultou no afastamento de cinco servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN) e na prisão em flagrante de um homem, pela suspeita da prática do crime de porte ilegal de arma de fogo. Além disso, dois despachantes foram descredenciados e dois “atravessadores” estão impedidos de entrar na sede do Detran/RN.

A operação foi realizada por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Patrimônio Público e do Combate à Corrupção (DECCOR).

Durante coletiva de imprensa, realizada no final da manhã de sexta, a delegada titular da DECCOR, Karla Viviane, explicou que a investigação já ocorria há mais de um ano. Não foram constatados indícios de uma organização criminosa.

Os envolvidos, dois servidores efetivos e três comissionados, serão investigados pela suspeita da prática do crime de corrupção passiva. Já os despachantes e “atravessadores” serão investigados por corrupção ativa.

As investigações apontaram, ainda, que os valores cobrados variavam entre R$ 15,00 a mais de R$ 1.000,00, para vistorias em carros que estavam em outros estados.

Para os veículos que seriam vistoriados, sem estarem presentes no pátio do Detran, devido às irregularidades que poderiam ser apontadas, ocasionando a possível apreensão, os valores cobrados pelos envolvidos eram os mais altos.

Além disso, os servidores do órgão podem responder pela suspeita da prática do crime de prevaricação. Todos os envolvidos já receberam a determinação judicial para o afastamento dos respectivos cargos, para que não o utilizem mais em busca de benefícios e interesses pessoais.

Ainda segundo as investigações, a prática dos crimes desta natureza era muito comum. Um dos “atravessadores”, que não possui vínculo, por meio de credenciamento, com o órgão, atuava há mais de 20 anos nesse sistema de corrupção.

Também estiveram presentes na coletiva de imprensa a delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, o delegado-geral adjunto, Odilon Teodósio e o diretor da Grande Natal (DPGRAN).

Confira a nota divulgada pelo DETRAN

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) vem a público esclarecer que a operação denominada pela Polícia Civil de “Pecúnia Doc”, na qual apura suspeitas de irregularidades no âmbito do Órgão de Trânsito do RN foi iniciada há cerca de 1 ano, quando o Detran identificou indícios de irregularidades acionando a Polícia Civil e atuando no decorrer das investigações sigilosas fornecendo todo o aparato de informações e documentações solicitadas pela Justiça e pela Polícia Civil do RN.

Ressaltamos que a Decisão Judicial expedida ao Detran na data de hoje (07), determinando o afastamento das funções de dois servidores efetivos do Detran, dois servidores cedidos e um comissionado (Já exonerado do cargo em janeiro deste ano, devido a suspeitas de irregularidades), foram cumpridas de imediato pela Direção do Detran, como também bloqueou o credenciamento de dois despachantes apontados pela investigação, inclusive determinando a proibição da entrada de ambos nas dependências do Órgão, sendo essa última medida aplicada a outros três “atravessadores” (que se passam por despachantes), também identificados na Decisão Judicial.

O Direção do Detran ressalta o zelo do Governo do Estado pelos princípios da administração pública e evidencia a importância da Operação “Pecúnia Doc” na construção e no fortalecimento do Órgão, onde os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência sejam as tônicas de todo o corpo de pessoal que compõe o Detran-RN.

Departamento Estadual de Trânsito do RN

Natal-RN, 07 de fevereiro de 2020


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem