BANNER 1




Foi num clima conturbado e de estresse que a prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP) realizou a tradicional leitura da mensagem anual na Câmara Municipal de Mossoró. O ato, que aconteceu na terça-feira (4), marcou o início dos trabalhos legislativos.

De um lado, a militância rosalbista, que tentava amenizar as vaias e protestos. De outro, ativistas em defesa da causa animal protestavam, com vaias e cartazes, contra uma informação de que a Prefeitura sacrificaria animais de rua, notícia que o Palácio da Resistência nega.

- Pare de matar os animais, prefeita, bradava um dos manifestantes em alta voz.

- Padre Flávio [Augusto], só Deus aqui, viu?, queixava-se a prefeita.

Por várias vezes, Rosalba interrompeu a leitura, diante de vaias e protestos dos ativistas. Teve até quem relembrou e cobrou promessas não cumpridas da campanha de Rosalba na eleição de 2016.

Cobrança e pedido de respeito

- Cadê o aplicativo para marcar exame?, cobrou um dos manifestantes.

- Tenham respeito. Se vocês não me escutarem, não vão poder reivindicar. Vão ficar só gritando? Não resolve nada, afirmou a prefeita.

A presidente da Câmara, vereadora Izabel Montenegro (MDB), ainda interveio e criticou duramente o protesto, classificando-o até como “palhaçada”.

Não serviu.

As vaias continuaram toda a sessão e o clima de estresse e acirramento seguiu.

Blog do Saulo Vale


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem