BANNER 1


Em videoconferência, na sexta-feira (22), a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Cecel) da Câmara Municipal de Mossoró conheceu detalhes das aulas remotas na rede municipal. Os vereadores Professor Francisco Carlos (PP) e Petras Vinícius (DEM), membros da CECEL e participantes da reunião, aprovaram o novo formato.

“Foi uma excelente oportunidade para conhecermos melhor esse sistema online, absolutamente necessário na atual pandemia de Covid-19”, diz Francisco Carlos, presidente da Cecel. “Não existe outro formato que não remoto. Até porque o Ministério da Educação impede atividades presenciais”, completa Petras, vice-presidente.

Representatividade

Além dos vereadores, participaram da reunião online representantes de escolas, Secretaria Municipal de Educação, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), professores, Conselho Municipal de Educação. Os debatedores foram unânimes em defesa da estratégia, desde que garantido maior acesso possível dos estudantes às atividades remotas.

Inclusão digital

A secretária de Educação, Magali Delfino, admite o desafio de inclusão de parcela dos alunos na Web. Sobretudo na zona rural, onde há maior dificuldade de conexão. “Solicitamos às operadoras de Internet desbloqueio do sinal das comunidades onde há escolas. Próxima semana, faremos conferência online com professores para avaliar a situação”, informa.

Ela assegura olhar diferenciado para a zona rural. “A secretaria dá todo o suporte, como transporte, xerox. Estamos atendendo às escolas rurais em até 60% pelo Whatsapp, a plataforma mais popular. Onde não houver conexão, o professor pode elaborar atividade e deixar na escola, para o pai buscar. Estamos nos adaptando e abertos a sugestões”, diz.

Mas a prioridade, segundo a secretária, é ampliar o acesso à Internet. “E parabenizo o vereador Francisco Carlos por pensar nessa situação. Temos essa preocupação e trabalhando para aumentar o alcance. O que não poderia continuar era o distanciamento com o aluno. Entre ficar parado e fazer atividades remotas, optou-se pelo online”, pontua.

Planejamento

A presidente do Conselho Municipal de Educação, Rizonete Bezerra, informa que as aulas remotas são normatizadas em parecer, contemplam também a rede privada e respeitam Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), Ministério da Educação, conselhos Nacional e Estadual de Educação. “Há preocupação com professores e alunos”, assegura.

Diretora da Escola Municipal Rotary, a professora Jailma Soares diz estar fluindo a atividade online na escola que dirige. “Estamos usando mais de uma plataforma e, com criatividade e compromisso, estamos progredindo”, conta.

A reunião da Cecel debateu ainda outros aspectos da educação remota, como atendimento a pessoas especiais, como portadores do espectro autista e professores com aulas excedentes – temas levantados pelo vereador Petras. Mais informações sobre as aulas remotas estão disponíveis no Portal Aprendizagem Colaborativa (www.educacao.prefeiturademossoro.com.br).


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem