BANNER 1


A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia rejeitou na 5ª feira (18.jun.2020) pedido de habeas corpus apresentado pela defesa da militante pró-Bolsonaro Sara Winter, líder do grupo “300 do Brasil”. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Sara foi presa na 2ª feira (15.jun) por determinação do ministro Alexandre de Moraes em investigação que apura financiamento de protestos com pautas antidemocráticas. O caso está em segredo de Justiça.

Leia também

Sara Winter é presa pela PF em Brasília

A ativista ameaçou Moraes depois de ter sido alvo de mandado de busca e apreensão. “Eles não vão me calar, de maneira nenhuma. Pelo contrário, eu sou uma pessoa extremamente resiliente. Pois agora, meu… e não é que ele mora em São Paulo? Porque se estivesse aqui eu já estaria na porta da casa dele convidando ele para ‘trocar soco’ comigo. Juro por Deus, essa é a minha vontade”.

O MPF (Ministério Público Federal) sugere pagamento de “no mínimo” R$ 10.000 por danos morais. A acusação foi apresentada pelo procurador da República Frederick Lustosa, e enviada à 15ª Vara de Justiça Federal.

Em depoimento, Sara negou que membros do “300 do Brasil” defendam 1 golpe militar. Declarou que não participou de ato em frente ao Supremo com disparos de fogos de artifício, realizado em 13 de junho.

A Polícia Federal transferiu a ativista na tarde de 4ª feira (16.jun.2020) da Superintendência da Polícia Federal em Brasília para o presídio feminino de Colmeia, também na capital federal.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem