BANNER 1


O primeiro crime aconteceu por volta das 14h20 de terça-feira, 21 de julho de 2020, na Rua Desembargador José  Mozart  Estigarriga Menescal, Conjunto Santa Delmira.

Um homem identificado  como Jefferson Franklin Pinheiro de Oliveira,  o "Cabaré", foi morto com mais de 20 tiros de pistola .40 e revólver.  Segundo a perícia criminal a vítima tentou correr, mas foi perseguida e morta no meio da rua.

"Cabaré" era morador do Bairro  Aeroporto é tinha saído da prisão no dia 06 de junho passado, por meio de alvará de soltura expedido pela justiça.

A segunda ocorrência aconteceu por volta das 17h30, na Rua Artur de Sousa Leite, por trás  da Madeireira Beira Rio no Bairro Aeroporto. A vítima, identificada como Francisco Simão, conhecido como "Chanhô" de 67 anos de idade, foi morto a tiros em frente à sua residência.

De acordo com a Polícia Militar Francisco Simão estava sentado em uma cadeira na calçada de sua casa, quando foi surpreendido pelos atiradores. A vítima foi atingida com pelo menos dois tiros de arma de grosso calibre, possivelmente de escopeta 12.

"Chanhô" andava de muletas devido a ferimentos provocados por disparos de arma de fogo. Ele teria sofrido um atentado quando estava na zona rural de Mossoró, na manhã do dia 21 de março passado.

No mesmo dia, o filho dele, Jefferson Fernandes Simão, conhecido como "Braguinha", foi morto a tiros, quando saía do Hospital Tarcísio Maia, onde teria ido visitar o pai que estava internado naquela unidade hospitalar, vítima de tiros.

Leia também

Homem é executado a tiros de escopeta quando saía de moto do Hospital Tarcísio Maia

Francisco Simão era pai de Everton Fernandes Simão conhecido como "Vertinho do Ouro Negro", preso no dia 24 de junho passado, durante duas operações simultâneas, a Operação Resistência deflagrada pela Polícia Civil e a Operação Vértice da Polícia Federal, sob suspeita de chefiar uma facção criminosa em Mossoró. A Polícia ainda não sabe o que teria motivado o assassinato de Francisco Simão e nem confirma se há ligação com a morte do filho ou com a  atividade ilícita do outro filho preso. O crime será investigado pela Delegacia de Homicídios de Mossoró (DHM).

 Com mais esse crime, a cidade de Mossoró contabiliza 103 assassinatos no ano de 2020.

Com informações do Blog Fim da Linha


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem