BANNER 1


O Rio Grande do Norte começa a semana para qual foi marcada a retomada do processo de abertura econômica com ocupação abaixo de 80% nos de leitos de UTI para pacientes de Covid-19. Esse era um dos requisitos apontados pelo governo para autorizar o retorno das atividades durante a pandemia do coronavírus.

Na sexta-feira (10), a governadora Fátima Bezerra (PT) afirmou que as tendências eram favoráveis à reabertura econômica, mas alertou que seria necessário cuidado para evitar uma "segunda onda" de contaminações no estado.

Na manhã desta segunda-feira (13), o sistema Regula RN, usado na regulação dos leitos do Sistema Único de Saúde no estado, apontava uma ocupação de 79,6% nos leitos críticos, por volta das 8h30. Na região metropolitana de Natal, a taxa era de 81,7%. Já na região Oeste, a ocupação era de 87,5%. A menor taxa ficou com o Seridó, com 73,3% dos leitos ocupados.

Das 286 UTIs disponíveis para tratamento contra o coronavírus, 56 estavam disponíveis, 218 ocupadas e 12, bloqueadas. Dos 358 leitos clínicos disponibilizados, 66 estavam vagos, 225 tinham pacientes e 67 também seguiam bloqueados para uso.

A oferta de leitos estava maior que a demanda. De acordo com o próprio Regula RN, havia dois pacientes de leito crítico aguardando regulação e seis aguardando transporte. No caso de pacientes clínicos, havia 22 no processo de regulação e cinco aguardando transporte.

Ainda segundo o próprio sistema, nos últimos três dias os pacientes aguardam, em média, 14 minutos para serem classificados, 3 horas e 46 minutos para serem regulados (receberem um leito) e 6 horas e 46 minutos para conseguir o transporte entre as unidades de saúde, até chegar ao leito.

Reabertura econômica
Está prevista para esta quarta-feira (15) a reabertura dos estabelecimentos enquadrados na segunda fração da Fase 1 do cronograma de retomada gradual das atividades econômicas. A data é a mesma em que começa a valer a Fase 2 do cronograma.

Apesar dos decretos estaduais, os maiores municípios do RN, Natal, Mossoró e Parnamirim, autorizaram a reabertura desses comércios ainda na semana passada. É o caso de bares, restaurantes e lojas com até 600 metros quadrados, entre outros.

Inicialmente, o estado havia marcado a segunda fração para o dia 8, uma semana após a abertura dos comércios da primeira fração, que ocorreu no dia 1º de julho. Mas a governadora Fátima Bezerra (PT) afirmou que decidiu adiar a reabertura dos estabelecimentos por causa da ocupação das UTIs, que seguia com taxa acima dos 80%.

Os estabelecimentos que poderão abrir dentro da 2ª fração da Fase 1, no próximo dia 15 de julho são:

Lojas - (até 600 m 2 e com "Porta para Rua”)

1. Lojas de móveis, eletrodomésticos e colchões
2. Lojas de departamento e magazines (que não funcionem em Shoppings ou Centros Comerciais)
3. Agências de Turismo
4. Calçados
5. Lojas de brinquedos, artigos esportivos e de caça e pesca
6. Instrumentos musicais e acessórios, equipamentos de áudio e vídeo, de eletrônicos/informática e de equipamentos de telefonia e comunicação
7. Joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanatos
8. Cosméticos e perfumaria

Alimentação - restaurantes, lanchonetes e food parks de até 300 m2, desde que comportem apenas 4 pessoas por mesa, mantendo a distância de 2 metros entre as mesas e de 1 metro entre pessoas, sem venda e consumo de bebida alcoólica no estabelecimento.

Também ocorre a primeira fração da Fase 2, que prevê reabertura das academias sem uso de ar-condicionado.

G1/RN


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem